quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

O despertar dos Magos - parte 2




...O Mago vive num estado de conhecimento.
Esse conhecimento é sua própria realização. 
Todos temos um “eu-sombra” que é parte de nossa realidade total, quando a sombra é curada se transforma em amor. 
O Mago é mestre na transformação, em busca da perfeição. 
A Sabedoria está viva, a incerteza que você sente interiormente é a porta de entrada para a sabedoria. 
A realidade de sua experiência é uma imagem especular dos seus pensamentos e expectativas.

Os Magos não lamentam as perdas, porque a única coisa que pode ser perdida é o irreal. 
O amor é mais que uma emoção, é uma força da natureza e, portanto tem que conter a verdade. 
O amor mais puro está onde é menos esperado, no desapego. 
Existem infinitas esferas de consciência, o Mago sabe o que existe em todas.

Os Peregrinos nunca se perdem, pois recebem continuamente orientações espirituais que as pessoas chamam de coincidências. 
Para os Magos, cada acontecimento revela um plano espiritual Divino. 
A imortalidade da alma deve ser vivida hoje na mortalidade do corpo. 
O Mago tem consciência da batalha entre o ego e o espírito, mas sabe que ambos são imortais.

Os Magos não condenam os desejos, pois sabe que são sementes para germinar.
Ensinam que você deve acalentar os desejos do seu coração por mais triviais que sejam, pois o conduzirão a Deus. 
O Maior bem que você pode fazer ao mundo é tornar-se um Mago.

Finito